Arquivo de etiquetas: 2009

O jogo mais pirateado do ano de 2009?

«Call of Duty: Modern Warfare 2» foi o jogo mais pirateado em 2009 de acordo com dados recolhidos pelo «TorrentFreak», com mais de cinco milhões de downloads ilegais para PC e para a Xbox.

A procura por este jogo é ainda mais significativa quando «Modern Warfare 2» está no mercado há apenas dois meses e quando os dowloads ilegais para PC (o grosso das contas com 4,1 milhões) é mais do dobro do que o vencedor do ano passado: «Spore».

Os jogos para PC são de longe os mais pirateados sendo que, na Wii, as preferências vão sem grandes surpresas para «New Super Mario Bros.», a exemplo de que a tendência da pirataria foi para jogos editados neste ano.

Fique com as tabelas apresentadas no «TorrentFreak»:

PC

1. «Call of Duty: Modern Warfare 2», 4.100.000 (lançado em Nov. 2009)
2. «The Sims 3», 3.200.000 (Jun. 2009)
3. «Prototype», 2.350.000 (Jun. 2009)
4. «Need for Speed Shift», 2.100.000 (Set. 2009)
5. «Street Fighter IV», 1.850.000 (Jul. 2009)

Xbox 360

1. 1. «Call of Duty: Modern Warfare 2», 970.000 (lançado em Nov. 2009)
2. «Street Fighter», 840.000 (Jul. 2009)
3. «Prototype», 810.000 (Fev. 2009)
4. «Dirt 2», 790.000 (Set. 2009)
5. «UFC 2009 Undisputed», 720.000 (Mar. 2009)

Wii

1. «New Super Mario Bros.», 1.150.000 (lançado em Nov. 2009)
2. «Punch-Out!!», 950.000 (Mai. 2009)
3. «Wii Sports Resort», 920.000 (Jul. 2009)
4. «The House of the Dead: Overkill», 860.000 (Fev. 2009)
5. «Mario Power Tennis», 830.000 (Mar. 2009)

Fonte: DiarioIol

Os filmes mais pirateados de 2009 são?

De acordo com o site Torrent Freak a listagem dos filmes mais pirateados.

Os filmes que foram “premiados” não tiveram em conta o facto de serem populares ou de terem tido uma boa receita de bilheteira mas apenas teve-se em conta os downloads que foram feitos dentro da rede Torrent.

Most Downloaded Movies on BitTorrent, 2009
rank movie downloads worldwide grosses
1 Star Trek 10,960,000 $385,459,120
2 Transformers: Revenge of the Fallen 10,600,000 $834,969,807
3 RocknRolla 9,430,000 $25,728,089
4 The Hangover 9,180,000 $459,422,869
5 Twilight 8,720,000 $384,997,808
6 District 9 8,280,000 $204,570,836
7 Harry Potter and the Half-Blood Prince 7,930,000 $929,359,401
8 State of Play 7,440,000 $87,784,194
9 X-Men Origins: Wolverine 7,200,000 $373,062,569
10 Knowing 6,930,000 $183,260,464

Fonte: Torrent Freak

“Unfriend”

Unfriend – verbo, retirar alguém de uma rede social da Internet, como por exemplo o Facebook, removendo o seu estatuto de “amigo”. Unfriend, que se poderia traduzir muito livremente por “desamigar”, é a palavra do ano 2009, segundo o New Oxford American Dictionary.

Unfriend

A palavra é baseada no universo do Facebook, que tem mais de 300 milhões de utilizadores em todo o mundo, e ganhou a outras concorrentes como sexting (envio de sms sexualmente explícitos), funemployed (pessoa que aproveita estar desempregada para se divertir) ou birther (refere-se a quem acredita nas teorias da conspiração sobre a autenticidade do certificado de nascimento do Presidente norte-americano, Barack Obama).

No blogue do New Oxford American Dictionary chama-se ainda a atenção para palavras compostas a partir de outras, destacando as relacionadas com o serviço de microblogging Twitter (twiterature, tweetaholic) e com o Presidente Obama (Obamanomics, Obamacons, Obamalicious).

Noutros anos, o dicionário escolheu palavras como hypermiling (estratégias de aumentar o rendimento do combustível de um carro, poderia ser traduzido como “hiperquilometrar”), locavore (pessoa que consome apenas comida produzida localmente, em português seria qualquer coisa como “locávoro”), carbon neutral (neutro em termos de emissões de dióxido de carbono), ou podcast (registo áudio acessível através da Internet).

As palavras do ano são incluídas nas versões actualizadas do New Oxford American Dictionary online. O anúncio da palavra do ano é sempre uma altura para discutir tendências sociais em blogues, jornais, no Twitter, até no Facebook. Nos últimos anos as palavras escolhidas têm vindo de áreas como economia, ecologia e tecnologia

Fonte: Publico