Arquivo da Categoria: Momento de Reflexão

Tipos de amigo

los-amigos-se-preocupan-por-ti Há três grandes tipos de amigo:

1 ->Amigo simples,

2 ->Amigo verdadeiro

3 ->E … Amigo do c@r@lho…

Situação – 1

 1 – Um simples amigo procura-te para conversar sobre os seus próprios problemas…

2 – Um amigo verdadeiro procura-te para te ajudar com os teus problemas…

3 – Um amigo do c@r@lho procura-te, ajuda-te com os teus problemas, dá-te dois cachaços e ainda te leva prá noite e paga-te os copos…!

 

Situação – 2

1 – Um simples amigo, quando vai a tua casa, age como uma visita…

2 – Um amigo verdadeiro abre o frigorífico e serve-se sozinho…

3 – Um amigo do c@r@lho abre o frigorífico, serve-se sozinho e ainda refila porque não há o que ele queria…!

Situação – 3

 

1 – Um simples amigo pensa que a amizade acabou depois de uma discussão…

2 – Um amigo verdadeiro sabe que não há amizade enquanto não houver qualquer discussão…

3 – Um amigo do c@r@lho chama-te nomes, f0d£-te a cabeça, enxota o teu cão, dá-te porrada, mas está tudo bem…!

Situação – 4

 

1 – Um simples amigo espera que estejas sempre lá para ele…

2 – Um amigo verdadeiro espera sempre estar lá para ti…

3 – Um amigo do c@r@lho espera por ti durante duas horas até ficar revoltado. Vai à tua casa casa… chama-te nomes, volta a enxotar o teu cão e dá-te porrada outra vez. Mas tá tudo bem na mesma…!

Lição sobre socialismo

Aqui está um texto que encontrei pelas redes sociais. Por isso é me complicado atribuir uma fonte fidedigna.

Um professor de economia em uma universidade americana disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou uma classe inteira.

Essa classe em particular havia insistido que o socialismo realmente funcionava: com um governo assistencialista intermediando a riqueza, ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.

O professor então disse: “Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.”

Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe e portanto seriam ‘justas’. Todos receberão as mesmas notas, o que significa que em teoria, ninguém será reprovado, assim como também ninguém receberá um “A”.Estudantes

Após calculada a média da primeira prova todos receberam “B”. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.

Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos, esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Já aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Como resultado, a segunda média das provas foi “D”. Ninguém gostou.

Depois da terceira prova, a média geral foi um “F”. As notas não voltaram a patamares mais altos mas, as desavenças entre os alunos, a busca por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe.

A busca por ‘justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram aquela disciplina.

O professor explicou: “O experimento socialista falhou porque quando a recompensa é grande o esforço pelo sucesso individual é grande”. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros para dar aos que não batalharam por elas, então ninguém mais vai tentar ou querer fazer seu melhor.

Lições a tirar…

1. Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico;

2. Para cada um recebendo sem ter que trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber;

3. O governo não consegue dar nada a ninguém sem que tenha tomado de outra pessoa;

4. Ao contrário do conhecimento, é impossível multiplicar a riqueza tentando dividi-la;

5. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, chegamos ao começo do fim de uma nação.

Matemática interresante

Numa cidade, os habitantes, endividados, estão a viver às custas do crédito.

Por sorte chega um estrangeiro e entra no único hotel.

mãos-que-passam-o-dinheiro-contas-do-euro-eur-54491418O estrangeiro saca de uma nota de 100 euros, põe no balcão e pede para ver um quarto.

Enquanto o estrangeiro vê o quarto, o gerente do hotel sai a correr com a nota de 100 euros e vai até ao talho pagar as suas dívidas.

O talhante, agarra na nota e vai até ao criador de porcos a quem deve e paga tudo.

O criador, por sua vez, pega também na nota e corre até ao veterinário para liquidar a sua dívida.

O veterinário, com a nota de 100 euros em mãos, vai até à zona (vermelha) pagar o que devia a uma prostituta (em tempos de crise essa classe também trabalha a crédito).

A prostituta sai com o dinheiro em direcção ao hotel, lugar onde levava seus clientes; e como ultimamente não havia pago pelas acomodações, paga a conta de 100 euros.

Nesse momento, o estrangeiro chega novamente ao balcão, pede a nota de volta, agradece e diz não ser o que esperava e sai do hotel e da cidade.

 

Ninguém ganhou um tostão, porém agora todos saldaram suas dívidas e começam a ver o futuro com confiança!

 

Moral da história: Quando o dinheiro circula, não há crise !!!

O que é o bullying?

Uma professora quis ensinar à sua turma os efeitos do bullying.

Deu a todos os alunos uma folha de papel e disse-lhes para a amarrotarem, deitarem para o chão e pisarem. Em suma, podiam estragar a folha o mais possível mas não rasgá-la.

As crianças ficaram entusiasmadas e fizeram o seu melhor para amarrotarem a folha, tanto quanto possível.

A seguir, a professora pediu-lhes para apanharem a folha e abri-la novamente com cuidado, para não rasgarem a mesma. Deviam endireitar a folha com o maior cuidado possível. A senhora chamou-lhes a atenção para observarem como a folha estava suja e cheia de marcas. Depois, disse-lhes para pedirem desculpa ao papel em voz alta, enquanto o endireitavam. À medida que mostravam o seu arrependimento e passavam as mãos para alisar o papel, a folha não voltava ao seu estado original. Os vincos estavam bem marcados.

A professora pediu então para que olhassem bem para os vincos e marcas no papel. E chamou-lhes a atenção para o facto que essas marcas NUNCA mais iriam desaparecer, mesmo que tentassem repará-las.

“É isto que acontece com as crianças que são “gozadas” por outras crianças” – afirmou a professora – “vocês podem pedir desculpa, podem tentar mostrar o vosso arrependimento, mas as marcas, essas ficam para sempre.”

Os vincos e marcas no papel não desapareceram, mas as caras das crianças deram para perceber que a mensagem da professora foi recebida e entendida.

O bullying causa mais danos do que podemos imaginar!

 bullying

O texto foi recebido por mail, por isso não faço ideia a quem dar os direitos de autor. Não sei se este texto terá acontecido em alguma aula mas ao ser verdade, dou os meus parabéns pela excelente iniciativa e maneira fenomenal de explicar aos mais novos o que é o bullying!